Antonival Zirr

sexta-feira, 21 de março de 2008

Eu mirei minhas metas para o céu...

Eu mirei minhas metas para o céu entre as estrelas

Ceu estrelado

Hoje é noite, o céu está muito nublado,
Um pouco cansado meu olhar se desvia para o horizonte,
No silêncio da noite e com o olhar fixo no horizonte.

Na claridade precursora do nascer do Sol,
Nesse horizonte via a madrugada se aproximando,
Lá onde nenhum homem jamais esteve,

Via uma estrela bilhar mais do que as outras,
Assim foi minha primeira aurora boreal,
Foi também que me recordei de você,

Quando mirei minhas metas para o céu entre as estrelas,
Recordei também que devemos sempre ter objetivos,
Fixar nossos objetivos como um norte em nossa vida

Eu moro no sul, você ao norte,
Deve ser por isso que você é meu norte,
Porque eu sempre estou olhando minha aurora boreal,

O sono chegou e começo a sonhar aqui meu mundo não tem limite
Enquanto durmo, mirando minhas metas para o céu entre as estrelas,
No descanso da noite, sinto um calor afetuoso da coberta que é recolocada pela doce enfermeira.

Sinto também ela observando meu sono profundo.
Com um beijo no rosto cela uma noite de aurora boreal...