Antonival Zirr

quinta-feira, 30 de abril de 2009

A rosa e o espinho “A Lei do Bem e do Mal”

 

O livre arbítrio é a maior liberdade deixada ao ser humano, com ela e na atuação de muitas necessidades e oportunidade que a vida nos oferece, existem no mundo invisível, muitas Leis Universais atuando.

A Lei do afeto, Lei de correspondência, Lei de evolução. Deixo meus pensamentos em palavras escrita aqui para você hoje, a Lei do Bem e do Mal, essa lei antagônica que  atua em nossas vidas, muitos não percebem a atuação dessa lei. Veja o exemplo das adversidades que atua em nossas vidas. Por que temos adversidades? Quando não se  sabe bastar a si mesmo, que bastar com os bens de terceiros, e se vive na ilusão materialista, como se a vida fosse só conquista de bens e mais bens. Ter vida fácil, não fazer nada para ser merecedor de algo.

Bem e Mal

 

Não posso conceber que alguém teve que morrer para salvar os pecados dos homens. Penso que não, o meu juízo e bom senso me cobram isso desde os meus 10 anos.

Cada um tem seu livre arbítrio esse é o preço, com isso eu concluo que temos que atuar não infringindo essas Leis, é muitas em que nos momentos de inspirações, o meu entendimento e meu espírito me mostram essa realidade. E por falar em espírito me refiro as minhas manifestações invisíveis que minha sensibilidade apresenta nesse eflúvio do sentir de eternidade.

Quando deixo de lado as coisas comuns da vida, os pensamentos de coisas fucazes, sem vida e conteúdo. É por isso que os homens não estão preparados e não percebem que o pensamento de Deus está presente em nossas vidas, temos que está preparado para receber esse bem e mais ainda temos que sermos merecedores.

Veja um exemplo, os homens criam todo dia novas Leis, justamente porque muitos pararam de pensar, pararam de perceber que a liberdade sua, é até o momento que não inflige a do semelhante. Faz-se barulho no momento que o vizinho e todos tem que dormir, lá está a lei e a segurança para corrigir e ajustar o erro alheio.

guarda Certa vez no momento de distração melhor dizer de ausência de mais observações, na pressa e na falta de iluminação do ambiente, deixei o carro em uma guia rebaixada e por ser noite, algo que percebi, ninguém iria utilizar aquele lugar a aquelas horas, principalmente em um comércio fechado. Mais o restaurante do lado utilizava a morada do vizinho.

Com isso chamaram a policia e de pronto aviso o guincho, ao retornar ao veículo a segurança entrou em ação e me perguntou se eu queria esperar para assinar a multa ou receber em casa.

Observando a segurança nos olhos do policial por saber da minhas obrigações e da infração cometida, e uma oportunidade para se aproveitar da situação. O meu juízo e bom senso atuou tranquilamente e até com felicidade. Assim expressei meus pensamentos.

Eu irei esperar a multa e assinar, e fico feliz por você está atuando corretamente no seu ambiente de trabalho. Se observa algo de reação e diferente nas palavras recebidas, mais melhor ainda , estarei feliz e reconhecendo a atuação da lei para quem a infringe.

Esse pequeno exemplo e singelo que ocorrem em nossas vidas, seja por um momento de distração, seja por falta de conhecimento, sobre as leis que atuam e nossas vidas. No caso das leis dos homens, serve para por em ordem o ambiente social.

E as leis universais (leis criadas por Deus), qual o propósito dela? Não descobriu ainda? Vou tentar primeiro eu mesmo entender e ai eu de explico. Mais deixo algumas reflexões.

Omint pilares Poderá ser essas leis os piláres da criação? É isso que aprendi na logosofia, que as Leis universais são os pilares da criação. Que pilares são esses? Pilares são as colunas de sustentação dos edifícios por exemplo. O que ocorreria se fizerem um edifício sem os pilares? Será que seria sustentável? Eu penso que não, dessa forma entendo e sinto a atuação dessas leis universais e qual a importância da mesma.

 É isso, essas leis estão ai, para regular e manter em ordem toda a criação, e como já comprovo hoje, quando infringimos, seja por uma pequena distração, seja por falta de conhecimento, ou por não dar importância a um pequeno erro aqui, pequeno erro ali, onde o amanhã o acumulo desses pequenos se tornam grande e ai nos apresenta a adversidade. Será isso mesmo adversidade, uma das formas que percebemos a atuação de uma lei? No exemplo da multa do policia eu penso que foi, já que percebi a atuação da lei criado pelo homem.

Veja outro exemplo, se não nos inspiramos e não nos esforçamos em ser melhor a cada dia, conquistar e praticar os valores, as virtudes e buscar sempre o conhecimento, como podemos conhecer algo ou ter mais entendimento, se o que observamos e sentimos está diretamente relacionado ao conhecimento que possuímos.

Alguém que conhece com propriedade uma lei criada, sabe também os momentos de infração ou a forma mais adequada de atuação da mesma. Um médico que observa a doença atuando no paciente, tem olhos invisíveis que lhe dar o entendimento e o conhecimento como a mesma atua, sabe a sua causa e com isso tem a cura, onde essa cura está justamente coordenada e sabida no exato valor de seu conhecimento.

rosa azul

A Rosa e o espinho, “A lei do bem e do mal” no meio de todos esses espinhos que as adversidades nos apresenta, existem sim um conhecimento superior eu sinto e observo isso na atuação das Leis Universais que são os pilares da criação.

Um comentário:

  1. Muito bom este seu artigo...faz a gente pensar realmente em nossas escolhas. O "livre arbítrio"...esse foi o "legado" que Deus nos deixou, e numa dessas escolhas quando erradas e vista a tempo podemos nos recuperar; o pior é quando fazemos a escolha errada e ela perpetua pela vida e quando nos damos conta a vida já está a nos cobrar o erro...aí sim dói.
    Parabéns

    ResponderExcluir

Para que eu possa ter um controle e melhorar o blog. Registre sua visita. Obrigado Zirr